iG - Internet Group

iBest

brTurbo

meninos

05/02 - 12:24hs

Conflitos na família
Rivalidade entre irmãos não é saudável, afirma especialista

Da Redação do Jovem

Quem nunca ouviu falar na clássica história dos irmãos Caim e Abel, filhos de Adão e Eva? Caim matou o irmão por inveja e depois acabou levando uma vida fugaz e sem muito sentido. Rivalidade entre irmãos existe, claro que nem sempre com finais tão trágicos, mas tal competitividade pode afetar, e muito, o relacionamento de duas pessoas que deveriam ser amigas e nunca rivais.  

Entrevistamos a psicoterapeuta Maura Albanesi* para entendermos melhor por que isso ocorre, e quais os danos causados quando o sentimento de competição existe na adolescência. Ela primeiramente explica que esse tipo de comportamento é mais comum entre irmãos que tenham idades aproximadas e que os pais são os grandes responsáveis por isso.

iG Jovem – Por que os pais tem uma parcela de culpa quando irmãos são rivais e não amigos?
Maura Albanesi – Desde pequenos os pais ensinam os filhos a serem os melhores, a se destacarem. Na infância, a criança tenta mostrar aos pais o quanto é “boa”, se um filho é mais esperto que o outro, eles tendem a fazer comparações e isso é muito prejudicial. Normalmente, esse sentimento de rivalidade/ disputa é cultivado na infância e inevitavelmente caminha para a adolescência e, muitas vezes, para a fase adulta. 

iG Jovem – Entre adolescentes essa rivalidade é mais preocupante?
Maura Albanesi –
Em partes sim, na fase juvenil a pessoa já tem um pouco mais de discernimento para entender certas coisas e concretizar certas ações. Além disso, eles não querem mais mostrar essa disputa de "ser o melhor" apenas para os pais, o mundo é o seu foco.

iG Jovem – Por que esse tipo de comportamento ocorre dentro da família?
Maura Albanesi –
Por influência dos pais e da própria sociedade. Vivemos em um mundo competitivo, essa é a nossa realidade e isso acaba acontecendo também dentro da família e não somente fora dela, o que seria ideal.

iG Jovem – Como os pais devem agir diante de tal situação?
Maura Albanesi – Os pais não devem incentivar nunca tal competição. Eles precisam valorizar o melhor de cada filho e lembrar sempre que cada pessoa é única e tem sua individualidade, se os pais souberem respeitar isso, já é um  grande passo.

iG Jovem – E o adolescente o que deve fazer?
Maura Albanesi – O jovem deve se esforçar para ser o melhor para si mesmo e nunca para travar uma batalha com o irmão.

iG Jovem – De que forma esse comportamento pode prejudicar a vida do jovem?
Maura Albanesi –  Essas atitudes podem provocar em excesso – muita ou baixa – auto-estima, e nada em exagero faz bem. Isso faz com que a pessoa perca o referencial de quem ela é de verdade e se ela não se reconhece, não pode reconhecer mais ninguém. Além dos sentimentos como arrogância ou complexo de inferioridade dependendo da posição de cada irmão.

iG Jovem – Existem pontos positivos nessa rivalidade?
Maura Albanesi –
O mundo valoriza muito a competitividade, mas quando ela ocorre entre membros da mesma família, não traz nada de benéfico, pelo contrário, gera desarmonia, desunião e muitos outros conflitos.

iG Jovem – Alguma dica aos jovens?
Maura Albanesi –
A rivalidade diminui quando há respeito pela individualidade e pelo lugar que cada um ocupa, estimular seus pontos favoráveis, sem utilizar o irmão como exemplo de comportamento.

E você, consegue viver em harmonia com seu irmão ou irmã? Comente!

Leia mais sobre: família



*Maura de Albanesi – é psicoterapeuta, pós-graduada em Psicoterapia Corporal, Terapia de Vivências Passadas (TVP), Terapia Artística, Psicoterapia Transpessoal e Formação Biográfica Antroposófica; Master Pratictioner em Neurolinguística; e mestranda em Psicologia e Religião pela PUC. Diretora do Instituto de Psicologia Avançada AMO.

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias