iG - Internet Group

iBest

brTurbo

meninos

03/02 - 14:34hs

Estudantes são detidos após pendurar colega na cerca nos EUA
Nadin Khoury, filho de imigrantes da Libéria, foi agredido por sete alunos de escola para jovens com problemas comportamentais

New York Times

> Leia mais: jovens lésbicas brigam para participar de desfile
> "Skins" causa polêmica com sexo, drogas e atores menores
> Siga o iG Jovem no Twitter

Um sétimo adolescente foi preso nesta semana num incidente envolvendo bullying, no qual um estudante de 13 anos foi chutado, espancado e depois pendurado pelo casaco numa cerca, segundo a polícia da Filadélfia (EUA). O ataque ao jovem, cuja família havia ido aos EUA para escapar da guerra na Libéria no ano 2000, foi gravado em vídeo por um dos suspeitos.

O garoto, chamado Nadin Khoury, foi deixado suspenso numa cerca de mais de dois metros de altura no dia 11 de janeiro, após ter sido arrastado, socado chutado e colocado de ponta cabeça numa árvore em Upper Darby, um subúrbio da cidade de Filadélfia, segundo o superintendente de polícia Michael Chitwood.

O ataque aconteceu por volta das 13hs, em frente a um prédio de apartamentos a cerca de 1,5km do Opporunity Center, uma escola para jovens com problemas comportamentais. Os sete suspeitos e Nadin frequentavam a escola, informa Chitwood.

Nadin ficou com inchaços pelo corpo, mas sem outros ferimentos mais graves.

Os suspeitos, cujas idades variam de 13 a 17 anos, agora enfrentam acusações judiciais de rapto, ameaças terroristas e conspiração. Se condenados, podem ser colocados em condicional ou em um centro de detenção juvenil. Dois dos suspeitos já haviam sido acusados de assalto.

Seis dos suspeitos haviam sido detidos na escola na segunda-feira de manhã e levados dali algemados, numa operação que queria mostrar aos outros estudantes que bullying pode levar a problemas com a lei, disse o superintendente. O sétimo foi detido na terça-feira.

A mãe de Nadin, Rebecca Wright, disse que o filho foi escolhido como vítima porque a aparência e o sotaque o tornavam diferente de outros negros do colégio. Rebecca, 38, que tem outros dois filhos, disse ter deixado a Libéria por causa da guerra civil, que causou “coisas terríveis” à família dela. “Uma das razões pelas quais vim para os EUA é que essas coisas não aconteceriam mais”, disse. “Quando cheguei aqui, fiquei muito feliz”.

Ela conta que Nadin tinha partes inchadas “por todo o corpo” e que ele havia sofrido bullying outras duas vezes, por parte dos mesmos jovens e de outros.

O superintendente do distrito escolar, Louis F. DeVlieger, defendeu o Opporunity Center, dizendo que eles têm um histórico de sucesso na recuperação da maioria dos estudantes que são matriculados ali. “Porém, parece que os alunos que foram levados pela polícia hoje [segunda-feira] escolheram continuar a tomar decisões ruins, que enfim resultaram em suas prisões e remoção da escola”, disse DeVlieger no começo da semana.

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias