iG - Internet Group

iBest

brTurbo

meninos

02/08 - 16:34hs

Luan Santana conversa com o iG: "Quero casar com todas as minhas fãs"
Cantor comenta polêmica com o ator Bruno Mazzeo, que o chamou de vesgo pelo Twitter, fala que está solteiro e que já beijou fã

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro

> Leia também: Luan enlouquece 8.500 fãs no Rio de Janeiro
> Assista a nossa entrevista com o cantor, antes do show
> Siga o iG Jovem no Twitter

Do lado de fora do camarim, um grupo de cinco meninas em torno dos 15 anos, aparenta euforia e desespero. “Moço, deixa eu entrar com você, por favor. Preciso muito”, diz uma delas. Lá dentro está o motivo de tanta comoção. Luan Santana está a menos de trinta minutos de subir no palco do Citibank Hall, na Barra, quando recebe a reportagem do iG.

Está cercado de assessora, empresário, familiares e amigos. O jovem de 19 anos, nascido em Campo Grande (MS), não aparenta nervosismo. Nem mesmo quando é comunicado de que a casa de espetáculos está com a capacidade máxima e todos os ingressos vendidos. São 8.500 pessoas, a maioria jovem, como as meninas do outro lado da porta, à sua espera.

Luan é, atualmente, um dos artistas que mais vende discos no País, o sertanejo com mais seguidores no Twitter (quase 450 mil) e o cantor brasileiro mais tocado nas rádios no último mês. O barulho desse sucesso é ouvido lá de dentro do camarim, a mais de 300 metros do palco. Gritos ininterruptos das fãs. Após posar para as fotos que ilustram esta matéria, Luan se dirige ao palco. As fãs que se encontravam no corredor já haviam sido retiradas.

Na conversa a seguir, Luan revela um pouco o que pensa e como vive. Diz que leu recentemente o livro “A Menina que Roubava Livros” e viu o filme “Homens de Honra”. Completou o Ensino Médio, mas não pretende fazer faculdade. Nas horas vagas, gosta de jogar futebol e de pescar em Londrina (PR), onde mora com a família. E comenta pela primeira vez os perfis falsos que surgem nas redes sociais da internet, a força da música sertaneja entre os jovens e de como espera estar daqui a dez anos. “Casado com todas as minhas fãs”, brinca ele.

iG: A música sertaneja passa por uma tendência de renovação entre os jovens. A que se deve este interesse?
Luan Santana: Fico muito feliz, acima de tudo, pelo que está acontecendo com a música sertaneja. As pessoas estão mais receptivas ao trabalho desse tipo de música. Estamos cantando em lugares que não entrávamos nem a pau.

iG: Era um preconceito? Como você explica o fim deste “bloqueio”?
Luan Santana: É um sertanejo novo. No nosso caso, ajuda o fato de eu ter 19 anos. Isso me faz atingir um público variado, das criancinhas ao pessoal de mais idade. Pode ver, nos shows tem de tudo.

iG: Uma prerrogativa da música sertaneja é cantar a “dor de cotovelo”, uma traição amorosa. Apesar de ter apenas 19 anos, você já sofreu por amor?
Luan Santana: Quem nunca passou por uma experiência dessa? Todo mundo passa por decepção. Quem vive isso recorre às letras sertanejas. Mas olha, a música mudou muito. E isso talvez tenha a ver com o crescente público jovem. Temos feito músicas mais alegres, para cima também. É assim: ‘Se você não me quer, então vaza’. É uma linguagem nova. 

Assista a trechos desta entrevista com Luan Santana:


iG: Quando e por que você começou a se interessar por este gênero musical?
Luan Santana: Cara, comecei a cantar aos três anos. Meus pais sempre foram apaixonados por música sertaneja em casa. Isso me influenciou. Desde que eu nasci, gosto de música. Cresci ouvindo isso, não tinha como não gostar.

iG: Estava preparado para tanto assédio?
Luan Santana: É muito legal saber que estou esgotando os ingressos por onde quer que eu vá. Adoro este assédio e, claro, adoro os shows lotados. É sinal de que estamos fazendo as coisas certas. Que continuem vindo me ver cantar.

iG: Como é sua relação com a internet?
Luan Santana: É muito importante desde o começo da carreira para espalhar minha música pelo Brasil, via Twitter, YouTube, a todos os lugares. Hoje, pela falta de tempo, só uso a internet para manter contato com os fã-clubes.

iG: Há duas semanas, o comediante Bruno Mazzeo te chamou de “a versão vesga de Wagner Moura” no Twitter. Vários fãs protestaram. Isso te chateou?
Luan Santana: Olha para mim (ele abre bem os olhos). Sou vesgo? Então não!

iG: Volta e meia surge um perfil falso na internet usando seu nome. Como lida com isso?
Luan Santana: No começo me irritava mais, me assustava com isso. Mas meu Twitter oficial tem muita gente, são mais de 400 mil seguidores. Qualquer um que queira saber do Luan de verdade está lá, o resto é imitação.

iG: Há algumas semanas, surgiu na internet um suposto diálogo picante que você teria tido com um rapaz em um chat de bate-papo. Isso é verdade?
Luan Santana: Vou te falar... Não tenho nem programa de bate-papo no computador. Se quiserem falar comigo, só pelo site oficial ou via Twitter. Não tenho outro meio de me comunicar com ninguém. Não tenho nem Orkut.

iG: Você parece ser bastante vaidoso, tem o cabelo milimetricamente desarrumado. Alguém cuida do seu visual?
Luan Santana: [risos] Geralmente eu me arrumo sozinho mesmo. Gosto de estar no estilo, de estar bem arrumado. Não fico me olhando o tempo todo no espelho, mas gosto de me sentir confortável.

iG: As fãs querem saber: está namorando?
Luan Santana: Não. Estou solteiro, solteiro.

iG: Lá fora tem mais de sete mil fãs histéricas chamando pelo seu nome. Qual é a chance de você ficar com uma delas?
Luan Santana: Eu já fiquei com fã, mas nunca namorei. Depende da pessoa. Não é porque é fã que eu vou deixar de conhecer. Para me conquistar tem que entender meu trabalho, saber que minha vida é uma loucura, não paro.

iG: Como espera estar daqui a dez anos?
Luan Santana: Quero continuar tocando e cantando cada vez mais, levando a música sertaneja para a galera. E casado com todas as minhas fãs [risos].

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG

publicidade



Contador de notícias