iG - Internet Group

iBest

brTurbo

18/08 - 12:09hs

Quais as chances de contrair Aids?
Leitor teve relações sem preservativo com uma prostituta e pergunta: "Há perigo?"

Dr. Ricardo de La Roca

“Olá Dr. Uro.

Tenho 21 anos e numa viagem a Natal fiquei com uma prostituta. No começo da relação, penetrei-a três vezes sem camisinha, aí lembrei e colocamos a camisinha para continuarmos a relação. Há perigo de eu pegar AIDS por tão pouco tempo de penetração sem camisinha (algo de 20 segundos)?

Depois ela me fez sexo oral e tudo. Por favor, me ajude, estou muito apreensivo para fazer os exames e ver no que vai dar - já pesquisei na internet e sei que devo esperar pelo menos três meses pra fazer o exame”


Quanta preocupação por um momento impensado... Os riscos de contrair uma DST podem ser com qualquer pessoa que tenha vida sexual ativa sem se prevenir, sendo que com as profissionais do sexo é evidente que, mesmo que elas hoje em dia se cuidem mais que anteriormente, não se pode garantir que não sejam portadoras de alguma DST, até por força da sua atividade.

Mesmo que o contato sexual desprotegido tenha sido muito rápido, houve um contato entre as áreas genitais. Não existe nenhum estudo que demonstre que o tempo de contato é um fator determinante para se contrair o vírus da AIDS - que sabemos se transmite através de secreções contaminadas ou por contato com o sangue infectado, o que pode ocorrer através de micro rachaduras na pele e na mucosa quando em atrito, durante a introdução peniana.

Por outro lado, estudos demonstram que a chance de infectar-se aumenta com um maior número de relações sexuais com múltiplas parceiras, com pessoas que tenham vícios e usam de drogas injetáveis, sendo estes fatores os mais importantes na transmissão viral do HIV.
O contato, mesmo sendo ínfimo mas desprotegido, pode também ser a porta de entrada de outro vírus, como o do HPV, que em média fica incubado de três a quatro semanas, aparecendo na sua forma clínica de verrugas genitais, de alto poder de transmissão.

É possível adquirir uma uretrite por bactérias, como o gonococo, ou por uma Chlamidea ou pela Ureaplasma, ou outras bactérias patogênicas que, se contaminavam a vagina, em contato com a uretra masculina podem por ela adentrar e a colonizarem, dando sintomas clínicos de secreção uretral, ardência uretral, ou uma balanopostite - irritação da pele e da mucosa do pênis e da glande, sendo até bastante comum a ocorrência desta inflamação causada por fungos do gênero Cândida.

O correto, ao acontecer uma situação que nem a relatada pelo nosso leitor, é abster-se de novos contatos sexuais sem a devida proteção, e procurar um urologista que, em face do relatado, irá solicitar no prazo certo os exames necessários para um diagnóstico final.

E tratar, se necessário, ou o que seria melhor, tranquilizar nosso paciente no caso de todos os exames derem negativos, aconselhando, o que já fazemos por aqui, no sentido de sempre praticar o sexo seguro desde o início, já que a prevenção é o melhor remédio.

E você, também quer enviar a sua dúvida? Mande um e-mail para o Dr. Uro. Comente!

Leia mais sobre: saúde


Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias