iG - Internet Group

iBest

brTurbo

16/12 - 13:15hs

Fimose
Operar ou não na adolescência?

Dr. Ricardo de La Roca

Acordo Ortográfico

Todos homens nascem com a fimose, que é a pele que recobre a glande peniana. Logo nos primeiros meses, orienta-se a mãe a puxar suavemente para trás esta pele, com o intuito de exteriorizar a glande, permitindo uma boa higienização local. Porém, nem todas conseguem, ou por receio de machucar o bebê, ou inabilidade, o que é perfeitamente entendível.

Com as visitas periódicas ao pediatra, este profissional reduz um pouco a fimose, ou encaminha a criança a um urologista para avaliar a necessidade da cirurgia de postectomia, que consiste na retirada da fimose. Em muitos casos, existe um descolamento fácil, não sendo a cirurgia indicada. Mas em casos no qual o orifício prepucial é muito estreito, sendo que nem urinar direito a criança consegue, a cirurgia é obrigatória. Alguns casos não necessitam de tanta urgência e postergar a cirurgia é mais indicado.

Se não houver necessidade de cirurgia na infância, pode ocorrer a necessidade na adolescência, quando com o aumento peniano, o início das atividades de masturbação ou da relacionamento sexual são prejudicados pelo  excesso de pele e a exteriorização da glande. Mas, são poucos os adultos que necessitam de  cirurgia, pois na maior parte das vezes ou a fimose não atrapalha, ou já foi solucionada antes.

De qualquer maneira, a cirurgia é simples e consiste numa incisão da pele e da mucosa bálano-prepucial. Este procedimentos na maior parte das vezes ocorre sem complicações. Porém, recomenda-se um período de 30 dias para uma boa cicatrização  e 45 dias de abstinência sexual. O prazo para o pênis voltar a ter uma aparência sem inchaços pode ser de até 3 meses, dependendo de cada caso.

E você, já operou da fimose? Tem alguma dúvida? Mande para o Dr. Uro. Comente!

Leia mais sobre: fimose



Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias