iG - Internet Group

iBest

brTurbo

28/06 - 19:44hs

Duas dúvidas sobre primeira vez
Leitoras querem saber se existe uma posição ideal para perder a virgindade, e como lidar com a religião nessa hora

Laura Muller

Posição para a primeira vez

A Fernanda* enviou a seguinte questão para a gente: “Eu queria saber qual é a melhor posição para a primeira vez!” Será que tem uma específica? Vamos lá:

• A POSIÇÃO – Não há uma regra! Isso eu falo sempre por aqui, mas no fundo não há mesmo. Talvez a dica para escolher uma melhor posição pela primeira vez é optar por aquela em que você ficar mais confortável. Pode ser a clássica “papai-e-mamãe”, em que a menina fica deitada por baixo e o menino por cima, ou outra: os dois de lado; ou ela sentada por cima dele etc.

• O MOMENTO E O ROTEIRO – Não há muito como fazer um roteiro para o momento dessa primeira vez. As coisas vão acontecendo na hora, e se modificando. O importante é ter em mente algumas questões básicas, como a importância de: 1. estar realmente a fim; 2. usar camisinha desde a primeira vez e 3. usar algum outro método anticoncepcional, como a pílula.

• O USO DE CAMISINHA – Isso é importantíssimo! Desde a primeira transa, o garoto e a garota precisam estar de camisinha, tanto para a penetração vaginal como para o sexo anal e o sexo oral. Essa é a única forma de vocês ficarem tranqüilos em relação à possibilidade de contaminação com as doenças sexualmente transmissíveis. Usem camisinha! Quando não tiver nenhuma por perto na hora, melhor adiar um pouquinho a transa e retomar no momento em que o preservativo estiver à mão.

• O USO DE ANTICONCEPCIONAL – A partir do momento que a menina teve sua primeira menstruação, isso significa que o corpo dela já está amadurecendo óvulos. Ou seja, que ela já pode engravidar. Então, não dá para fazer sexo sem, antes, escolher um método para evitar a gravidez. Vá ao médico ginecologista e escolha com ele. Em geral, o mais usado é a pílula com baixa dosagem hormonal. Essa pílula aliada à camisinha compõe a dupla infalível para o sexo saudável, seguro, responsável e prazeroso. Aproveite! 

• O PRAZER – Em geral, o prazer vem de um jeito muito gostoso quando a gente decide que está na hora de ter a primeira transa e se prepara direitinho fazendo o que conversamos aqui, além, claro, de escolher uma pessoa bacana e especial para estar ao lado. Prepare-se! E na hora H, aproveite e não fique com cobranças nem encanações. Ninguém nasce sabendo tudo sobre sexo. E é uma delícia ir aprendendo aos poucos! Vá ao seu ritmo, para viver de um jeito mais tranqüilo essa iniciação sexual.


Virgindade, namoro e religião

“Tenho 18 anos e há pouco tempo conheci um rapaz que me fez mudar muitas coisas em mim. Fui criada em igrejas e sempre ouvi que a hora certa de fazer sexo é depois do casamento. E que se fizer antes estaria 100% errado. Isso me faz pensar muito! Será mesmo? Já conversei com ele sobre isso logo no início do nosso namoro. Contei que queria casar virgem, mas a cada dia vejo como isso está se tornando impossível de acontecer. Meu medo é de que esteja muito cedo ainda, pois nos conhecemos há um mês. Estava pensando em transar mas não agora, depois de alguns meses ou até mesmo de um ano. Mesmo estando apaixonada por ele, penso: ‘Um mês é muito cedo’. Nossos amigos não pensam assim. Como eu posso me sentir mais segura em relação a isso? Como saber a hora certa? E se eu me arrepender depois?” Ufa! Quantas questões! Mas vamos lá com calma:

• O TEMPO CERTO – Você contou que acha um mês muito pouco tempo para já transar com o namorado e que seus planos são de esperar um pouco mais. O que há de errado nisso? Nada! Cada pessoa faz os planos que quiser para a própria vida! Ninguém melhor do que você para perceber e sentir qual a hora certa para a sua primeira transa. Essa primeira vez é um marco na vida de qualquer pessoa. Então, escolha com calma, cuidado e atenção essa sua hora. Não faz mal se tiver de adiar, nem se os amigos ou o namorado ficam insistindo para você mudar de idéia. O que diz a sua voz interior? Ouça-a. Assim é mais saudável e prazeroso.

• O ARREPENDIMENTO – Quando a gente respeita os próprios limites, é mais raro se arrepender de algo. Pelo que você conta, a questão da virgindade sempre foi algo importante e cheio de regras na sua vida. Uma delas: que o correto seria casar virgem. Esse pensamento cedeu lugar a outro: que o mais adequado é fazer com alguém por quem você se apaixonou, mas só quando o namoro já durar por volta de um ano. Esses são os seus limites e precisam ser respeitados. E é você quem tem de respeitá-los acima de tudo! Então, respeite-se, para poder viver as experiências de uma forma mais tranqüila e sem arrependimentos.

• A QUESTÃO RELIGIOSA – Cada religião tem um jeito de encarar o sexo e a sexualidade. Qual a mais certa? O que está 100% certo? O que está errado? Não dá para dizer! Cada pessoa tem a sua religião, e acredita nela e a segue à sua maneira. Os questionamentos surgem sempre. E aqui, mais uma vez, cada pessoa precisa ir buscando as próprias respostas! Ou seja, é importante buscar o que faz mais sentido para você. E isso vale em relação ao sexo também. Você precisa ir buscando o seu jeito de lidar com os significados do sexo e com a prática sexual. Siga as idéias que já estão em você lá no fundo. E se algo não sair como o planejado? Isso também faz parte da vida, das descobertas e dos aprendizados. Não se cobre a perfeição, porque isso não é possível! Vá com calma consigo mesma. 





Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias