iG - Internet Group

iBest

brTurbo

meninas

04/07 - 10:43hs

Meninas que fazem Pornôs
Por que elas escolheram essa carreira?

Da Redação do Jovem

A primeira coisa que pensamos sobre ser atriz de filme pornô é a facilidade de ganhar uma boa grana, mas seguir essa profissão não é tão simples assim. Conversamos com duas atrizes e elas nos contaram a parte que ninguém vê dessa história toda.

Suzana Rhios, 25, e Julia Paes, 21, já estão nessa há algum tempo, e elas garantem: a motivação é o dinheiro, sim. Mas confessam que se tivessem tido oportunidade de se virar fazendo outras coisas, teriam feito sem piscar. A partir da história dessas meninas, conheça o que envolve o universo do mundo pornô.

Das duas histórias, só dá para pensar que é preciso estar muito certo para seguir esse caminho, mas tudo é válido desde que seja feito com verdade e dedicação aos próprios objetivos. 

Os lados da questão

A carioca Suzana, que estudou em colégio de padres, conta que tudo começou quando, um dia, estava na casa de uma amiga conversando sobre como arrumar um emprego. Essa amiga fazia filmes eróticos gravados em casa. Suzana acabou gostando da idéia e decidiu fazer um filme caseiro também. “Por impulso”, explica.

Apesar da produção precária, não demorou para atuar em filmes mais bem produzidos e trabalhados. Logo, já estava no meio, apesar de achar que não é uma boa idéia seguir esse caminho. “Eu não aconselho ninguém a começar, porque esse é um caminho sem volta, você fica marcada, a vida toda vão ver teu filme, vai para a internet, pra todos os lugares do mundo”, comenta. E os amigos? “Alguns apóiam, mas a maioria fica escandalizada”, diz.  “Você acaba fazendo amigos no meio, mas isso atrapalha na hora de gravar uma cena, não dá pra fazer uma boa cena de sexo com um amigo”, completa.

Ela fez tudo escondido, a família não sabia de nada (a mãe e a irmã moram na Alemanha) e ela achou que ninguém saberia. Mas não é que uma amiga da mãe de Suzana trabalha num laboratório médico (e eles usam filmes pornôs pra ajudar os homens que têm de fazer espermograma) e viu um filme onde ela aparecia, correu pro MSN e contou tudo para a mãe dela? “Foi horrível. Nunca falei diretamente com minha mãe sobre isso, só com minha irmã. Um tempo depois, minha mãe me mandou um email, mas eu não tive coragem de ler”, conta. Na hora de arrumar namorado, a carreira também atrapalha. “Eu mesma não vou querer ter uma relação amorosa com alguém que faz filmes!”, conta. 

Com o apoio dos pais

Com Julia Paes, o começo foi bem diferente. Ela trabalhava como modelo e assistente de palco numa emissora de TV. O convite pra fazer filme pornô veio num momento em que ela estava precisando de dinheiro. Tinha acabado de se separar do marido, com quem tem dois filhos, e precisava recomeçar a vida. A primeira coisa que fez foi consultar os pais, contou da proposta para o filme e do cachê. Eles apoiaram a decisão. “Nenhum pai quer isso para sua filha, eles sonham com coisas bonitas, mas a realidade é essa.” Conta Julia.

“Meu pai me chamou e disse: ‘O corpo é seu, a exposição é sua, a escolha também’. Foi duro de ouvir, mas foi bom saber que eles me apoiariam”, conta. Julia é  uma pessoa sossegada, que sai pouco e por conta disso os pais acabaram percebendo que nem todo mundo que faz esse tipo de filme tem um comportamento pervertido ou escandaloso. Ela sabe que os filhos (que ainda são muito pequenos) vão saber e ela fará questão de contar assim que eles estiverem maiores.

O que você acha da carreira? Vale a pena por dinheiro? Comente!

Leia mais sobre: sexo

 

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias