iG - Internet Group

iBest

brTurbo

08/09 - 21:26hs

Treineiros bem colocados em 2009 dão dicas para quem vai prestar vestibular
Veja 13 sugestões de estudantes que teriam entrado nas melhores faculdades do Brasil – se ainda não faltasse o último ano!

Larissa Drumond, iG São Paulo

> Adolescente que dorme mais vai melhor na escola, diz estudo
> Atividades extracurriculares nem sempre são chatas
> iG Estágio e Trainee: canal tem busca para  2.500 vagas
> Siga o Twitter do iG Jovem

Escolher uma profissão aos 17 anos não é fácil. Nem ficar sentado numa cadeira durante cinco horas, lembrar fórmulas de física, decorar a tabela periódica e entender o que se passou na Idade Média – ainda mais com o nervosismo por saber que a prova tem o poder de decidir boa parte da sua vida. Vale a pena ser treineiro e fazer um vestibular “de brincadeira” – e, caso você concorde com isso, ler as dicas de quem se deu muito bem no ano passado.

Guilherme de Oliveira Souza, 16 anos, pretende cursar Engenharia Mecatrônica na USP, na Unicamp e no ITA. É por isso que estuda quatro dias por semana, inclusive em alguns sábados e domingos. Tanto esforço lhe rendeu 71,667 pontos no vestibular da Unesp no último ano, a sexta maior pontuação entre os treineiros – o suficiente para entrar em qualquer curso, menos Medicina. “Prefiro exatas. Procuro cálculo, teoria dos números, física quântica e desafios na internet para tentar resolver. É bom para desenvolver a lógica”, conta.

Também fã de números e fórmulas, Paulo Vinícius Castagnari, 18 anos, está se preparando para cursar Engenharia Mecânica. O jovem de Ribeirão Preto (SP) também foi um dos maiores pontuadores da Vunesp e, mesmo assim, conversa durante algumas aulas e não se considera CDF. “Não tem segredo: pego o caderno, leio, faço exercícios e tento me concentrar na aula. Odeio humanas, mas preciso encarar a chatice”, confessa.

Rafael Barizan, 17, foi um dos melhores treineiros da Unesp; Ariana Zerbinatti, 17, da Unicamp. Os dois sonham em passar cinco anos dentro de uma universidade estudando a Constituição. Antes de cursarem Direito, a saída é mesmo ler e decifrar equações. Na segunda fase da USP, em que os conhecimentos específicos são avaliados, matemática é disciplina obrigatória. “Para quem vai prestar humanas, é um diferencial enorme saber exatas. Não é meu ponto forte, por isso sei que preciso me esforçar muito”, diz o jovem de Ibitinga (SP). A concorrência é alta, mas veja o que você também pode fazer para mandar bem no vestibular:

1. A principal recomendação é: não acumule matéria. O lema é “ponto dado, ponto estudado”. E se você deixar tudo para um dia só, não vai conseguir estudar com calma, nem absorver o conteúdo.

2. Não leve dúvidas para casa. Ok, não precisa ser aquele aluno chato que levanta a mão a cada 20 palavras do professor ou que pergunta três minutos antes do sinal, mas não perca o raciocínio. Uma boa saída é aproveitar os plantões oferecidos pela escola.

3. Não deixe de copiar o conteúdo da lousa. Na hora de ler a apostila em casa, ele orienta quais são os pontos mais importantes sob a ótica do professor. Assim, você não perde tempo com parágrafos, fórmulas e personagens não tão importantes.

4. Faça os exercícios sentado numa cadeira com os livros sobre a mesa. Para aguentar cinco horas de prova consecutivas sem sentir dor nas costas, é preciso muito treino também. Nada de pezinhos esticados na cama com as costas no travesseiro!

5. No caso de exatas, resolva todos os exercícios obrigatórios e, se sobrar tempo, os extras também. Em humanas, leia a apostila e procure outros livros sobre o assunto na biblioteca ou na internet. Leve as dúvidas para o professor no dia seguinte.

6. Comece estudando pela matéria que você mais detesta. Pelo menos, vai ter mais energia para ela do que para a última – pela qual você se interessa. Quando o cansaço, a impaciência e a preguiça batem, é melhor fechar o livro e voltar de cabeça fria. Durante a prova, vale outra regra: inicie pela disciplina mais “fácil”.

7. Não estude no dia anterior à prova; aproveite para descansar. Se você se esforçou durante os três anos do ensino médio, provavelmente terá bons resultados. Engolir o caderno dias antes não é uma solução.

8. Os treineiros advertem: estudar sozinho é mais produtivo. Ao explicar a matéria, você usa e reforça o que sabe, mas não tira as próprias dúvidas. Perceba se estudar com os amigos rende frutos ou apenas conversinhas paralelas.   

9. Leve barras de cereal ou chocolate e uma garrafinha d’água para consumir durante o teste. Isso depois de ter um almoço leve – nem cogite feijoada com torresmo para não passar mal mais tarde.

10. Faça os simulados do colégio. Por meio dele, você tem noção do que precisa estudar e prestar mais atenção. É um treino para o grande e temido dia.

11. Não se esqueça de reservar, em média, uma hora e meia para a redação. Mesmo que ela fique para o fim, leia a proposta no início. As questões de história, geografia e atualidades podem sugerir pontos de vista diferentes e ideias de como abordar (ou começar) o texto. 

12. Não gaste mais que dois minutos por pergunta. Não sabe? Circule-a para raciocinar mais tarde. Não sabe mesmo? Elimine as absurdas e chute em alguma alternativa. Brigar com a questão não adianta – e atrasa.

13. Vestibular tem leitura obrigatória. Não tenha preguiça de ler todos os itens da lista – você nunca sabe qual livro vai cair, é melhor se garantir.





Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias