Douglas Leite: “Se tenho um sonho, vou atrás dele e não desisto”

Campeão da Mega Rampa em 2011, fera paulista do BMX vai ao Rio de Janeiro para testar sua evolução na modalidade: “quero mostrar que cresci como atleta”

Bruno Capelas , iG São Paulo |

Divulgação
Mesmo sendo campeão em 2011, Douglas Leite chega tranquilo para a disputa da Mega Rampa em 2012

Em 2011, ele entrou na Mega Rampa na última hora, por culpa de um acidente do americano Morgan Wade , mas acabou levando a melhor, levando para casa o troféu na modalidade de maior salto em altura ( High Air ), com 6,2 metros. Para o campeonato de 2012, o piloto de BMX Douglas Leite não quer só o bicampeonato. Mesmo sem treinar, uma vez que não há pistas desse estilo no Brasil, o atleta de São Bernardo do Campo quer mostrar que conseguiu evoluir na modalidade.

“Tenho uma expectativa tranquila, e quero voar para levar o caneco para casa, claro. Mas também quero mostrar que cresci como atleta”, diz o piloto de 21 anos ao iG sobre a Mega Rampa .

Divulgação
"Tem muita gente por aí que anda bem e não tem oportunidade para aparecer", reclama o atleta sobre a falta de incentivo ao BMX

Em sua quarta edição, o campeonato de esportes radicais que reúne skate e bicicleta acontece pela primeira vez no Rio de Janeiro , na Praça da Apoteose , nos dias 25 e 26 de agosto. Até 2011, o torneio era disputado no Anhembi , em São Paulo .

Siga o iG Jovem no Twitter

“Vai ser incrível competir no Rio de Janeiro porque a cidade tem uma galera e um clima muito legal. Mas é uma pena que meus amigos de São Paulo não vão poder estar lá para me ver”, opina o piloto sobre a mudança de sede da Mega Rampa.

LEIA TAMBÉM: JP Dantas: “Vencer é apenas um bônus”
Adriano de Souza vai ao Taiti em busca de título inédito para o surfe brasileiro

Na entrevista a seguir, Douglas, que andava de skate antes de assumir as magrelas, fala sobre a surpresa que sentiu ao vencer na Mega Rampa em 2011, e comenta seus próximos passos no esporte.

iG: No ano passado, você não estava escalado para competir e entrou na última hora com o acidente do Morgan Wade. Como foi vencer desse jeito?
Douglas Leite:
Tive uma grande sorte de poder competir e vencer foi algo inesperado. Quando me falaram que eu ia competir, queria só andar e curtir o momento. No meu segundo pulo, voei 6,2 metros e fiquei feliz. Ia descer de novo, mas me pararam antes de correr, falando que eu já tinha ganho. Não acreditei na hora. Minha vitória, mesmo inesperada, me ajudou muito, e deve ter ajudado bastante o BMX brasileiro.

iG: Você tem alguma carta na manga para vencer a competição?
Douglas Leite: Para ser sincero, não estou indo para a Mega Rampa para ganhar. Claro que quero voar e levar o caneco pra casa, mas quero é mostrar que evolui mesmo sem poder treinar numa pista com essas características, e que mereço mais incentivo. E voar alto, tentando bater a minha marca do ano passado.

Divulgação
Doguete, no salto de 6,2 metros de altura que lhe deu o título da Mega Rampa em 2011

iG: Quem é seu maior adversário na busca pelo bicampeonato?
Douglas Leite: Em um campeonato como o High Air, o mais qualificado é o Morgan Wade. É um cara que tem uma qualidade muito alta, mas estou tranquilo para voar e, se der, trazer o bicampeonato para casa.

iG: Em 2012, a Mega Rampa será disputada pela primeira vez no Rio de Janeiro, depois de três anos em São Paulo. O que você está achando disso?
Douglas Leite: No Rio, assim como em São Paulo e no Brasil inteiro, tem muita gente que eu gosto e converso. Vai ser incrível, porque o Rio tem uma galera e um clima muito legal. Mas é uma pena que meus amigos de São Paulo não vão poder estar lá para me ver.

Divulgação
"Tenho medo de altura quando estou fora da bike. Nela, o que eu mais gosto de fazer é voar", diz Doguete

iG: E como é ser campeão de uma prova que não tem pista para treinar no Brasil?
Douglas Leite: É complicado. Assim que eu ganhei, queria muito ir para o exterior treinar, mas meu visto ficou travado e não pude sair. Treinei em outros tipos de pista, fiz academia e cuidei da alimentação. Evoluí bastante, mas precisava ter uma Mega Rampa aqui no Brasil.

Curta o iG Jovem no Facebook

iG: Como você começou a andar de bicicleta?
Douglas Leite: Comecei a andar de bicicleta como brincadeira. Me apaixonei quando eu tinha de 15 para 16 anos. Fiz um amigo meu montar a minha bike para poder sair com a galera, e escolhi o BMX porque vi que ali tinha uma galera muito unida, tinha uma amizade legal.

iG: E como você resolveu que ia andar na Mega Rampa?
Douglas Leite: Gosto muito de altura, mas tenho medo de quando não estou na minha bike. A Mega Rampa apareceu como uma possibilidade de me fazer voar mais alto e isso é o que eu mais adoro no esporte.

iG: Quais são os próximos passos da tua carreira?
Douglas Leite: Se tenho um sonho, vou atrás dele e não desisto. Atualmente, eu quero muito ajudar o BMX aqui no Brasil. Estou me preparando para treinar bastante na Califórnia ano que vem. Os melhores atletas do mundo estão por lá, e quero aprender com eles para voltar e ajudar os atletas do Brasil com experiências novas. Além disso, sonho em disputar a etapa dos X-Games em Foz do Iguaçu e disputar as finais dos X-Games em Los Angeles . Mas, para isso, preciso estar bastante preparado.

CONTINUE LENDO:  10º Campeonato Brasileiro de Ioiô define representantes do Mundial
Nerds saem do grupo dos excluídos e viram padrão de comportamento

Leia tudo sobre: radicaisBMXMega RampaentrevistaDouglas Leite

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG