Trio transforma Física em diversão no “Ciência em Casa”

Novo programa do Nat Geo ensina a matéria mais temida do colégio com ajuda de explosões, mochila-foguete e vôo com balões

Nathalia Ilovatte , iG Sâo Paulo | - Atualizada às

Edu Cesar/Fotoarena
"A ideia é pegar um assunto que tem a ver com o dia a dia e explorar ao máximo", explicam os físicos Gerson, Daniel e Wilson

Aprender física é, no imaginário popular, sinônimo de contas sem fim e conceitos abstratos demais para serem compreendidos. Um programa de televisão sobre o assunto, portanto, só poderia ser uma chatice. Mas não é. No “ Ciência em Casa ”, que estreia quinta-feira (16) no canal a cabo Nat Geo , os físicos Wilson Namen , Gerson Santos e Daniel Ângelo mostram que a ciência está no cotidiano e demonstram, com experiências ousadas, as teorias que muita gente detestou aprender no colégio.

Edu Cesar/Fotoarena
As experiências do "Ciência em Casa" parecem bem malucas: na foto acima, Gerson tenta levantar vôo com uma mochila de garrafas com água e ar

“A ideia é pegar um assunto que tem a ver com o dia a dia e explorar ao máximo”, explica Wilson. No dia da entrevista ao iG , os físicos gravaram a experiência final de um episódio sobre garrafas PET. “Dentro de casa tem inúmeras coisas que nós podemos pegar e transformar em ciência”, afirma Daniel.

Curta o iG Jovem no Facebook

Após explicar os conceitos científicos por trás das embalagens de refrigerante, o trio montou uma mochila de garrafas que, com água e ar, faria Gerson levantar vôo. “A ideia de usar coisas do cotidiano é simples, mas a execução das experiências é bem difícil”, diz o cientista-cobaia que, na semana anterior, voou amarrado a balões de gás hélio.

Siga o iG Jovem no Twitter

A experiência com a mochila foi filmada em uma quarta-feira fria, mas ensolarada, na represa de Guarapiranga, zona sul de São Paulo. E, embora o clima e a proposta fizessem tudo parecer uma grande brincadeira, cada etapa da gravação do episódio foi discutida com seriedade.

“O programa é feito a muitas mãos. O conhecimento científico vem dos meninos, o conhecimento de técnica, narrativa, cinema e televisão é nosso, e nós nos suprimos de mais dois físicos na equipe para testar as experiências”, explica a diretora do “Ciência em Casa”, Fernanda Weinfeld, que confessa não ter sido muito amiga da física no colégio, mas depois das filmagens, começou a curtir. “Testando as experiências na produtora a gente descobriu que as pessoas amam todas as que têm explosões.”

Ela afirma que o formato do programa é uma novidade na televisão. “É um programa bem original. O formato que ele tem não existe, mas acho que ele bebeu em algumas fontes, como ‘MythBusters’ e ‘O Mundo de Beakman’”, comenta.

LEIA MAIS: "Minhas questões são de uma geração", diz Natália Klein, de "Adorável Psicose"
"Cartãozinho Verde": comentaristas mirins falam de bola como gente grande

Embora o “Ciência em Casa” seja novidade no Nat Geo e na vida dos cientistas, há 12 anos eles transformam a física em show. “Nos conhecemos na Universidade de São Paulo, e com o apoio da universidade montamos um show itinerante que viaja o Brasil até hoje”, conta Wilson, “fomos indicados por um professor para participar de um quadro do programa do Gugu e foi aí que tudo começou”.

O trio já passou por algumas emissoras e mantém atualmente um quadro no “ Programa da Eliana ”, do SBT. O espaço na mídia é encarado como uma conquista para os cientistas. “A televisão sempre teve dançarinos, cantores e jogadores de futebol inspirando a sociedade, e eu tenho orgulho de dizer que nós, do nosso jeito, conseguimos colocar a ciência no mapa da TV”, comemora Wilson.

“Ciência em Casa” estreia na quinta-feira (16), às 22h30, no Nat Geo. “Vai ser demais”, garantem os cientistas.

CONTINUE LENDO:  Playcenter fecha as portas após 39 anos de magia e diversão
"Programas educativos não geram lucros", diz ator e criador de Beakman

Leia tudo sobre: ciência em casanat geoséries

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG