Série de Stan Lee ganha versão latina com “Super-Humanos” brasileiros

Personagens do reality parecem saídos dos filmes hollywoodianos, mas provam que são de carne e osso

Emilio Franco Jr, especial para o iG |

Alexandre Carvalho / Fotoarena
Luis Cláudio de Mello é o Super-Energia. Ele consegue quebrar tijolos com a cabeça, cravar pregos com as mãos e entortar ferro

São mais de 7 bilhões de pessoas no mundo, todas, em teoria, geneticamente semelhantes. Mas, às vezes, acontecem mutações evolutivas e aparecem humanos com poderes especiais. O que poderia ser a sinopse da saga “X-Men” é, na verdade, ponto de partida para o curioso programa “Super-Humanos”, em exibição desde a última semana pelo canal pago History Channel.

LEIA TAMBÉM: Veja os famosos que já participaram de "Os Simpsons"
Veja a lista de renovações e cancelamentos das séries americanas

Divulgação
O homem Antigravidade em ação, em Brasília
A versão latina da série, que vai ar todas as quintas-feiras, às 22 horas, mostra pessoas com habilidades físicas e mentais inacreditáveis. São homens e mulheres capazes de fazer conta mais rápido do que a calculadora, levantar peso com os dentes ou até mesmo correr 100 quilômetros ininterruptos sem apresentar sinais de cansaço.

Siga o iG Jovem no Twitter

O professor Luis Cláudio de Mello, 37 anos, consegue, por exemplo, cravar pregos na mão, quebrar tijolos com a cabeça e entortar ferro. Ele logo alerta, no entanto, que é um ser humano de carne e osso como qualquer outro. “A cada demonstração arrisco a minha vida, mas a experiência me faz ter certeza de que tudo dará certo, mas é perigoso e um erro pode ser fatal”, confessa.

Luis conta que sua habilidade é fruto de muito treinamento. Ele se dedica diariamente ao Kung Fu, arte milenar que o credenciou a quebrar um facão afiado com a garganta para o programa. “Em alguns momentos nos machucamos porque excedemos a nossa capacidade”, explica ao falar que nunca se feriu em apresentações, mas que já teve incidentes em treinos. “Podem ocorrer leves ferimentos na pele ou cortes superficiais”, minimiza.

As palavras leve e superficial não combinam com outro super-humano, Ricardo Nort, de 38 anos, campeão mundial de levantamento de peso. Ele consegue puxar dois caminhões amarrados ao corpo apenas por uma corda.

Divulgação
O Homem-Invencível, Ricardo Nort, consegue puxar dois caminhões amarrado por uma corda

Mas as consequências são tão inusitadas quanto o feito que realiza. Após gravar a participação no programa, Ricardo perdeu três centímetros de altura. Os discos intravertebrais se contraíram muito com o peso dos caminhões nos ombros e ele passou de 1,92m para 1,89m. “Mas não senti dor, no outro dia estava legal”, ressalta.

Divulgação
O Encantador de Aranhas
Se não fossem por detalhes como esse, a exemplo de pequenos ferimentos, os personagens do programa passariam facilmente a impressão de serem super-heróis de filmes hollywoodianos.

Curta o iG Jovem no Facebook

“De vez em quando escuto isso de crianças”, diverte-se Ricardo, que é 50% mais forte do que a média dos homens brasileiros. Os resultados de testes de força surpreenderam até a equipe médica, que nunca havia visto números semelhantes. Assim, nem parece tão difícil fazer dois caminhões, um em cima do outro, andarem apenas com a força do corpo.

LEIA TAMBÉM
Veja as novas séries que vão estrear em 2012
Reunião de “Friends“ é improvável, dizem Lisa Kudrow e Matt LeBlanc

Mas não adianta chamá-lo de super-humano. “Não é todo dia que sou forte”, afirma. O segredo, acredita, é a combinação de boa genética e persistência. “Sempre fui um dos garotos mais fracos da escola, tudo isso foi desenvolvido com muito trabalho, estudo e determinação”.

Mesmo assim, as pessoas pensam que eles nascem com esses dons, conta Luis, que treina há anos o conceito de controle de energia. Se pareceu coisa de heróis da Marvel, o professor explica que a energia Qi está presente em tudo e pode, com exercícios milenares, tornar o corpo imune a ataques físicos. “Isso se chama vestir a camisa de ferro”, diz.

Além de Luis e Ricardo, outros nove brasileiros integram a seleção do programa, que ainda conta com mexicanos, colombianos e argentinos, entre homens e mulheres. No total, são 32 casos de superpoderes contados em oito episódios de uma hora cada.

Homem-Energia gravando um prego usando apenas as mãos. Foto: Alexandre Carvalho / FotoarenaSeu nome é Luis Claudio e ele pratica Kung Fu em São Paulo. Foto: Alexandre Carvalho / FotoarenaPublicidadeEle é capaz também de quebrar um pedaço de ferro usando a garganta. Foto: Alexandre Carvalho / FotoarenaA mulher Super-Equilíbrio. Foto: Divulga¿oO homem Super-Memória. Foto: Divulga¿oO Homem-Elástico preso em uma caixa de vidro. Foto: DivulgaçãoO Guitarrista Mais Veloz do Mundo completa o time de "Super-Humanos". Foto: Divulgação

Se por aqui a apresentação é do argentino Leo Tusam, renomado especialista em hipnose, controle mental e domínio do corpo, a versão norte-americana é comandada por ninguém menos que Stan Lee, criador de heróis como Batman, Mulher Maravilha e Homem-Aranha.

Divulgação
Super-Biker saltando do alto de um prédio
Apesar de explicarem serem feitos de carne e osso, os participantes são os exemplares reais mais próximos dos super-heróis que dominam o imaginário coletivo pelo mundo. Mas quando não estão nos gibis ou nas telas, parecem assustar.

“Geralmente não sou visto com bons olhos, pois todo mundo associa tamanho e força com ignorância”, lamenta Ricardo, que é pós-graduado no exterior, fala três idiomas e ainda toca piano.

Luis concorda que as pessoas os julgam e por isso prefere, em certas situações, esconder do que é capaz. “Procuro me manter em segredo em locais públicos”. Com essa afirmação, ele colabora para deixar a pergunta no ar: eles são ou não são super-humanos?

CONTINUE LENDO
Conheça os dubladores das animações
As 10 séries mais lucrativas da TV

Leia tudo sobre: SériesTVcultura popséries de tvreality show

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG