Valetes: "Não temos medo de ficar marcados pelo Rick Bonadio"

Banda paulista comemora prêmio Revelação no Meus Prêmios Nick, fala sobre clipe gravado com Mariana Lessa e se diz contra o download de músicas pela internet

Bruno Capelas , iG São Paulo |

Divulgação
"Temos muitos fã-clubes espalhados pelo Brasil. Foram eles que nos ajudaram a conquistar o Meus Prêmios Nick", conta Emil (à esquerda), vocalista da Valetes

Em sua 13ª edição, o Meus Prêmios Nick deu um banho de meleca em nomes consagrados da música e da televisão brasileira como Rodrigo Faro, NX Zero, Luan Santana e Cauã Reymond. O evento também mostrou para todo o Brasil uma banda que promete tocar muito nas rádios nos próximos meses: a Valetes, vencedora do troféu Revelação Musical, levando para casa o famoso dirigível laranja do canal Nickelodeon.

+ MÚSICA: Simple Plan: “Só no Brasil nos chamam de ‘emos’”
Fiuk fala sobre o novo disco: "Quero gravar o que eu quiser"

“Foi uma surpresa para nós quando soubemos que tínhamos vencido! Pode reparar na nossa cara durante a premiação”, conta Emil Shayeb, vocalista da banda que, em março, lançou seu primeiro disco “Valetes”, produzido por Rick Bonadio, responsável pelo sucessos do NX Zero Fresno.

Divulgação
"Não acreditamos quando o Rick Bonadio nos ligou falando que queria trabalhar com a gente. Achamos que era trote", diz Emil

“O Rick é um cara muito legal. Não acreditamos quando ele nos ligou falando que queria trabalhar conosco, achamos que era trote. Mas ele é muito exigente também: para as quinze músicas que estão no disco, chegamos a compor mais de quarenta”, explica Emil, que é acompanhado na Valetes desde 2006 por Vitor Belotti (baixo), De Léo (guitarra) e Caio Pelegrini (bateria).

Siga o iG Jovem no Twitter

No bate-papo a seguir, a voz à frente da Valetes fala um pouco mais sobre Rick Bonadio, a vitória nos Meus Prêmios Nick e conta como foi fazer o clipe de “Sobre Nós”, dirigido por Gee Rocha, do NX Zero, com a participação de Mariana Lessa, protagonista de “Julie e os Fantasmas”:

iG: Como foi vencer como Revelação no Meus Prêmios Nick?
Emil Shayeb: Foi muito legal. Já tínhamos participado de alguns prêmios, como o Multishow, e não esperávamos vencer no Meus Prêmios Nick porque as outras bandas eram muito fortes. Mas adoramos vencer - e foi uma surpresa: pode conferir nas fotos quando subimos ao palco.

iG: O Meus Prêmios Nick elege seus vencedores por votação popular. Qual é a receita da vitória do Valetes - se é que existe uma?
Emil Shayeb: Temos muitos fã-clubes no Brasil inteiro e eles fizeram parcerias com outros grupos de bandas amigas nossas, como o NX Zero. Isso foi fundamental para conseguirmos levar o dirigível pra casa.

Divulgação
"Hoje, não baixo mais música na internet. Prefiro comprar CDs ou pelo iTunes, porque acho que o artista tem de ser remunerado", explica o vocalista

iG: O primeiro disco de vocês, “Valetes”, foi lançado em março e teve a produção do Rick Bonadio. Como foi ser trabalhar com ele?
Emil Shayeb: Fizemos a pré-produção durante um ano e meio com o Rick, pensando no repertório e nos arranjos das músicas. Nesse tempo todo, aprendemos muito mais do que nos últimos cinco ou seis anos. O Rick é um cara muito legal, mas extremamente exigente: para melhorar o nosso nível como banda, ele fazia a banda ensaiar durante oito, dez horas por dia. Daí para a gravação foi um processo bem tranquilo.

Divulgação
Em seus shows, a Valetes costuma tocar covers de Los Hermanos, Maroon 5, Bruno Mars e NX Zero

iG: E qual é o segredo do sucesso do Rick? Ele mexe muito nas músicas?
Emil Shayeb: No som da banda ele não mexe. O que faz ele ser um cara especial é a aprovação do repertório. Para as quinze músicas que estão no CD, fizemos mais de quarenta para ele aprovar. O sucesso dele está exatamente aí: em saber escolher bem as músicas. Além disso, ele mixa muito bem, manja de arranjos, é um produtor completíssimo.

Curta o iG Jovem no Facebook

iG: Depois de serem produzidas pelo Rick, muitas bandas ficam marcadas por esse trabalho, mesmo quando querem mudar de sonoridade. Vocês não tem medo de ficar estigmatizados como ‘mais uma banda do Rick Bonadio’?
Emil Shayeb: Não sei se a gente passa por esse risco. Não tenho medo de ficar marcado por trabalhar com o Rick. Adoramos o cara, e adoramos falar para todo mundo que estamos com ele. Para mim, se a banda tem personalidade, é independente de ele ser ou não o nosso produtor. Mas quero muito que ele nos produza no segundo disco, sem pensar se vamos ficar marcados ou não.

iG: Como foi formada a banda?
Emil Shayeb: Eu, o Vitor e o Caio estudamos na mesma escola desde pequenos. Precisamos de um guitarrista, e uma amiga de uma amiga indicou o De Léo, que é de Botucatu, uma cidade próxima a Bauru. Éramos uma banda de garagem normal, que tocava muitos covers, e depois começamos a compor nossas músicas, com uma veia bem pop.

iG: “Sobre Nós”, um dos singles do disco de vocês, foi escrita pelo Lucas Silveira, do Fresno. Como vocês conseguiram a música?
Emil Shayeb: Na época em que estávamos selecionando o repertório do disco, o Fresno ainda estava na Midas Music. O Lucas mostrou essa música para nós, e adoramos aquele som. O Lucas é um cara que escreve muito bem, e foi uma honra ter uma música dele no nosso disco.

LEIA MAIS: The Wanted: "Nós não fazemos coreografias, fazemos música ao vivo"
NX Zero: “O novo disco mostra que amadurecemos com o nosso público”

iG: E como foi fazer o clipe de “Sobre Nós”, com direito a chuva cenográfica, direção do Gee Rocha e participação da Mariana Lessa?
Emil Shayeb: Foi uma das coisas mais trabalhosas que a gente fez. Tinha uma infraestrutura incrível, câmeras de slow motion, um caminhão pipa só para gravar as cenas de chuva. Foram sete horas de filmagem, e era um dos dias mais frios do ano - no fim da gravação, todo mundo saiu gripado (risos).

Divulgação
"As pessoas pensam que temos uma vida de rockstars, mas é difícil sobreviver da música hoje em dia", avalia o homem à frente da Valetes

iG: O que você pensa sobre downloads gratuitos de música pela internet?
Emil Shayeb: Quando eu era bem pequeno, eu comprava CDs, e na adolescência baixei muita música. Hoje, estou do outro lado da situação: não baixo mais música, prefiro comprar o CD ou no iTunes. É muito fácil você baixar música hoje em dia, mas a gravadora precisa ter um retorno financeiro para poder financiar seus artistas. Vai demorar muito tempo para as pessoas entender que música é um trabalho demorado, complicado, e que precisa de reconhecimento e remuneração. Entendo que os nossos fãs baixem os nossos discos, mas sempre pedimos para eles irem aos shows e comprarem o CD. É um equilíbrio complicado.

iG: Vocês vivem só da música hoje em dia?
Emil Shayeb: Sim, mas não é fácil. É muito trabalho, muita viagem, muito estudo. Pode parecer fácil ter uma vida de estrela, aparecer na TV, mas ainda estamos começando, trilhando um caminho complicado e tortuoso. Não é toda essa maravilha que as pessoas imaginam - mas é muito gratificante.

Assista ao clipe de "Sobre Nós", da Valetes, com participação especial de Mariana Lessa ("Julie e os Fantasmas").

CONTINUE LENDO:  College 11 lança disco: “Somos uma máquina de música”
Strike: “Somos parte de uma escola nova que mistura rock, rap e reggae”

Leia tudo sobre: ValetesRick BonadioLucas SilveiraMariana LessaNX Zerorockentrevistasmúsica

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG