10 mandamentos do DJ, segundo Marky

Veterano brasileiro dá conselhos para quem sonha em bombar nas pistas de dança!

Bruno Capelas , iG São Paulo |

Getty Images
Para o DJ Marky, o principal conselho para um bom DJ é não chegar na pista com um set pronto

Ele passa o ano inteiro viajando pelo mundo para fazer o que mais gosta: transformar as pistas de dança em verdadeiros caldeirões com seus sets de música eletrônica. Considerado um dos maiores DJs do mundo, Marco Antônio da Silva, o DJ Marky, prepara-se para um novo desafio. Na próxima sexta (10), em vez de suas pickups, o paulistano de 37 anos comandará duas bandas, regendo a festa como um maestro no Red Bull Technostalgia.

Divulgação/Red Bull
Marky é um dos poucos artistas brasileiros a colocar uma música nas paradas de sucesso da Grã-Bretanha, com o remix de "Carolina Carol Bela"

Responsável por remixes de artistas como Roberto Carlos, Jorge Ben, Fatboy Slim e Bebel Gilberto, Marky se prepara para a nova experiência em São Paulo. “Nunca toquei com uma banda antes, e acho que vai ser sensacional. Começamos a ensaiar nessa semana, estou sentindo o gosto da coisa”, conta o paulistano de 37 anos em entrevista ao iG. Ele ainda adianta uma das músicas da apresentação: “Bizarre Love Triangle”, do New Order.

Siga o iG Jovem no Twitter

Enquanto se prepara para o Technostalgia, aproveitamos para pedir ao DJ algumas dicas para quem deseja seguir seus passos e fazer a pista de dança bombar.

1 - Sentirás a vontade da galera na pista: Não adianta nada preparar o setlist dos seus sonhos em casa e ele não funcionar na pista. “O DJ que faz isso ignora o que as pessoas querem ouvir. O que dá para fazer é tocar para si em casa. Não tente ter um repertório em mente. Tem que chegar no clube para surpreender as pessoas e a você mesmo”, diz Marky.

2 - Serás independente: Marky conta que nunca fez cursos para aprender a discotecar. “Aprendi sozinho a me virar, e entender como passar de uma música para a outra sem alterar a velocidade, ou colocar melodias parecidas lado a lado”, lembra o DJ.

+ MÚSICAIndicada ao VMB, Cone Crew Diretoria faz sucesso com “Chama os Mulekes”
Dupla junta refrões de hits sertanejos e faz sucesso com “Mistura Boa”

3 - Estudarás música: Quando o assunto é teoria musical, Marky se considera um leigo, mas não recomenda o mesmo para os iniciantes. “Eu faço o que faço sem entender nada de música, mas acho importantíssimo. Mais até que um curso de DJ. Preciso muito estudar essa parte”, confessa.

4 - Aprenderás a usar o toca-discos: Para o paulistano, o toca-discos é o melhor instrumento do DJ, independente do que está na moda. “É um diferencial, prende a atenção da galera. Tem todo um ar de nostalgia, e o som no vinil te permite experimentar coisas novas”, avalia Marky.

Divulgação
Marky acha falso quem fica fazendo coraçãozinho na cabine: "Mostre para o público a sua paixão pela música, cantando e dançando junto", diz ele

5 - Serás versátil com os equipamentos: A tecnologia permite que qualquer pessoa com um MP3 player na mão se torne DJ, mas Marky acha isso muito sem graça. “O grande lance de ser DJ é criar coisas diferentes e explorar o máximo do equipamento. Usando bons softwares ou o toca-discos, você cria muito melhor do que só tocar a música ou o CD”, aconselha.

6 - Não tocarás só os hits de rádio: “É muito fácil fazer um set só com o que está bombando no momento”, diz Marky. “Além disso, se for para ouvir os hits, eu ligo o rádio e ouço. Ser DJ é mais que isso. Coloque coisas novas que você anda ouvindo no seu set, deve rolar legal”, explica.

Divulgação
Misturar estilos é uma das dicas de Marky: "Adoro samba, jazz, soul, música latina. Tiro desses estilos sons diferentes para a pista"

7 - Não farás coraçãozinho na cabine: A interação do DJ com a plateia é um dos pontos mais importantes para um set na opinião de Marky. “Mas acho falso quem fica fazendo coraçãozinho na cabine. Prefiro mostrar a minha paixão pela música de outro jeito, dançando, cantando junto”, opina Marco Antônio.

Curta o iG Jovem no Facebook

8 - Terás contato com outros DJs e músicos: Se, por um lado, Marky nunca fez um curso de DJ, por outro ele revela que conhecer outros profissionais da música foi uma escola. “É um processo que sempre enriquece a formação dos dois lados. Muito do que sei sobre produção de músicas descobri trocando ideia com as pessoas”, explica ele.

LEIA TAMBÉM: 10 dicas para organizar sua formatura dos sonhos
Guia completo para a primeira balada

9 - Mostrarás suas influências: Para Marky, uma das coisas mais legais de discotecar é poder misturar diferentes estilos em seus sets. “A maior minha paixão não é a música eletrônica. Curto muito samba, jazz, soul, música latina. É desses estilos que eu tiro minhas ideias para encaixar sons diferentes na pista”, revela o paulistano.

10 - Revisitarás músicas antigas: O remix de Marky para “Carolina Carol Bela”, de Jorge Ben e Toquinho, foi a música brasileira a chegar mais alto nas paradas de sucesso britânicas. Para quem pensa em começar a fazer remixes, o DJ dá a dica: “Desafie-se de fazer releituras para clássicos de música. É legal mostrar coisas antigas para as pessoas, é bagagem musical. Todo mundo tem que se ligar”. Para turbinar ainda mais sua produção, Marky recomenda fazer duas versões: uma mais acessível, para ser escutada a qualquer hora, e outra mais dançante, para bombar na pista.

SERVIÇO
Red Bull Technostalgia
Quando: 10 de agosto. Abertura da casa: às 21 horas. Show: meia noite
Preço: ingressos de R$ 15 a R$ 40 - mais informações em www.cinejoia.tv
Endereço: Praça Carlos Gomes, 82 - Liberdade - Sâo Paulo
Classificação etária: 18 anos

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG