Crítica: “A Escolha Perfeita” tem humor ácido e elenco de primeira

Filme protagonizado por Anna Kendrick é uma boa mistura de covers de músicas pop a capella, situações absurdas e humor ácido

iG São Paulo , Natália Eiras | - Atualizada às

Anna Kendrick interpreta a protagonista Beca, de "A Escolha Perfeita". Foto: DivulgaçãoO elenco também tem Rebel WIlson e Anna Camp. Foto: DivulgaçãoO filme conta a história de uma aspirante a DJ que se une a um conservador coral. Foto: DivulgaçãoBaseado no livro "Pitch Perfect", o longa mostra a disputa entre corais a capella. Foto: DivulgaçãoRebel Wilson é Fat Amy, uma das melhores personagens do longa. Foto: DivulgaçãoFat Amy (Rebel Wilson) e Beca (Anna Kendrick). Foto: DivulgaçãoProdutora do longa, Elizabeth Banks é, ao lado de John Michael Higgins, comentadora da disputa entre corais. Foto: DivulgaçãoBeca (Anna Kendrick) acaba se aproximando de Jesse (Skylar Astin). Foto: DivulgaçãoO problema é que ele faz parte do grupo coral rival, o "Estrondosos". Foto: DivulgaçãoBeca (Anna Kendrick) e Fat Amy (Rebel Wilson). Foto: DivulgaçãoFat Amy (Rebel Wilson). Foto: DivulgaçãoO coral As Bellas de Barden. Foto: DivulgaçãoCena de "A Escolha Perfeita". Foto: Divulgação

É difícil assistir à primeira cena de “A Escolha Perfeita”, que estreia nesta sexta-feira (7) nos cinemas brasileiros, e não pensar que vai ver um episódio de “Glee” de mais de 2h de duração. O segundo número musical nos reserva, no entanto, uma surpresa que pode ser agradável ou não: além de mostrar a competição entre corais, o filme do diretor estreante Jason Moore guarda em seu roteiro o humor ácido e às vezes escatológico dos “besteiróis” americanos.

LEIA MAIS: Veja os bastidores de“The Walking Dead”
Terceira temporada de "Glee" chega às lojas em DVD 

Divulgação
Rebel Wilson como Fat Amy é um dos destaques do filme

Assim como na série de Ryan Murphy, “A Escolha Perfeita” mostra um grupo de pessoas completamente diferentes que têm apenas uma coisa em comum: o fato de cantarem bem. Isto, somado a situações absurdas que podem ser vistas em comédias escrachadas como “American Pie”, fazem do longa uma versão mais alternativa deste tipo de humor.

A grande vantagem do musical é o elenco recheado de comediantes que estão em alta. Indicada ao Oscar por “Amor Sem Escalas”, Anna Kendrick faz a protagonista Beca, uma aspirante a DJ que não está nem um pouco feliz em ter que frequentar aulas na faculdade Barden, onde seu pai é professor.

Bastante reservada, a garota não faz questão de fazer amizades, mas logo se vê obrigada a entrar no coral “Bellas de Barden”, um grupo formado por garotas bonitas, mas que cantam músicas entediantes.

Siga o iG Jovem no Twitter

Anna Camp e Brittany Snow interpretam, respectivamente, Aubrey e Chloe, veteranas que se esforçam para manter a tradição do coral, mas, diante da falta de candidatas, acabam recrutando gente como uma garota que nasceu com guelras de peixe e uma ninfomaníaca.

O destaque do grupo musical é, no entanto, Rebel Wilson. A atriz australiana, que participou de “Missão Madrinha de Casamento” e “Quatro Amigas e um Casamento”, vive a engraçada Fat Amy.

É na boca da personagem que ficam as melhores falas, além de piadas que podem criar controvérsias com o público mais sensível. Em entrevistas, Brittany Snow disse que Rebel improvisou a maior parte de seu texto, o que só melhora a espontaneidade de sua personagem.

Elizabeth Banks completa o elenco. Também produtora do longa, a atriz assumiu o papel de Gail, que foi escrito, originalmente, para Kristen Wiig, mas a ex-“Saturday Night Live” teve que recusar por problemas de agenda.

Música e cultura pop

A ideia de “A Escolha Perfeita” nasceu do livro “Pitch Perfect – The Quest For Collegiate A Capella Group”, do repórter da “GQMickey Rapkin. Na obra, o jornalista relata os bastidores do competitivo mundo dos grupos a capella, ou seja, que fazem música apenas com a boca.

Assim, diferentemente de “Glee”, uma banda não acompanha os corais que se apresentam durante o longa. Por isso, os atores tiveram que fazer exercícios para criar desde as batidas instrumentais até a linha vocal de hits como “Don’t Stop the Music”, de Rihanna, e “Since U Been Gone”, de Kelly Clarkson.

Curta a página do iG Jovem no Facebook

O amor pelo pop não para na música. O filme “O Clube dos Cinco”, o queridinho dos fãs de cultura pop, tem um papel importante na trama. Tanto que há um inusitado cover da icônica música “Don’t You (Forget About Me)”, do Simple Minds.

Apesar de ser seu primeiro longa-metragem, Jason Moore já trabalhava com os jovens dirigindo episódios de séries como “Dawson’s Creek” e “Everwood”, o que pode ter ajudado-o a acertar o tom jovial de primeira. O cineasta também teve a ajuda do bom texto de Kay Connon, roteirista de “30 Rock” e “New Girl” que assinou a adaptação da obra de Rapkin para o cinema.

CONTINUE LENDO: Justin Bieber e Macaulay Culkin são eleitos os artistas mirins mais talentosos
Angus T. Jones pede desculpas a colegas de 'Two and a Half Men'

Leia tudo sobre: filmea escolha perfeitacrítica

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG