iG - Internet Group

iBest

brTurbo

meninos

02/07 - 17:42hs

Chifre trocado dói?
Descubra se vale a pena trair só para se vingar

Milene Moreto

Quebra de fidelidade. Deslealdade. Essas são apenas duas definições atribuídas à traição. É bem verdade que ninguém quer entender ao pé da letra o significado exato dessa bendita palavrinha, mas, inevitavelmente, um dia, todos se deparam com ela, seja por experiência própria, dentro da própria família ou de situações vividas por amigos.

Lidar com essa quebra de confiança é um desafio, já que perdoar não é fácil. O namoro ia muito bem, obrigada, até o dia que Cláudia, de 19 anos, descobriu que seu parceiro tinha outra pessoa. E agora? Terminar a relação seria o mais óbvio, mas a garota ainda o amava e não se sentia segura para isso. Com raiva e tristeza, a única saída que encontrou para se sentir melhor foi pagar na mesma moeda. Mas esse esquisito desejo de vingança valeu a pena?

A estudante acredita que não. Acabou arrumando mais um problema para sua cabeça. Isso porque, além da tristeza que sentia com a traição do namorado, acabou ficando com culpa por ter usado uma outra pessoa. "Não foi planejado. Eu tinha acabado de descobrir que era enganada e traída. Resolvi, dias depois, ir a uma festa com um casal de amigos. Aconteceu que, chegando lá, acabei me interessando por um garoto. Saímos juntos várias vezes. Mas continuava falando e vendo o meu namorado. Não fui honesta com o menino e ele também não me ajudou a superar o trauma. Pelo contrário, foi uma dor de cabeça a mais porque não sabia como dar o fora", contou Cláudia.

Mas nem todas pensam assim. Maysa, de 17 anos, não quis nem saber de conversa. Depois de descobrir que era traída saiu logo para a luta e "chifrou", diversas vezes o namorado. Ela afirma que a vingança veio em grande estilo. "Serviu para ele ver que eu não era qualquer uma. Se ele podia, eu tinha o mesmo direito. Mas terminamos o namoro. Claro que essa história não iria dar certo. Perdemos o respeito, o amor e tudo de legal que construímos. Quando não confiamos nem adianta continuar com o garoto. Depois como vou sair com as minhas amigas e com ele? Elas eu sei que não vão fazer nada, agora ele só Deus sabe", explicou Maysa.

Existem várias pesquisas que comprovam que os homens traem muito mais que as mulheres. A ala feminina, por sua vez, quando resolve trair arquiteta o fato com tamanha perfeição que, dificilmente, são descobertas. O enfeite na testa pode durar anos no caso dos homens sem que sintam o peso da galhada na cabeça.

Já as garotas identificam a mudança no comportamento masculino facilmente. Atitudes óbvias como desligar o celular, sumir e não dar notícias por longos períodos e se afastar sem nenhuma explicação acabam entregando a traição. Sem contar que, na maioria das vezes, eles deixam pistas claras e até são vistos por amigos delas em atitudes suspeitas.

Impulso. Assim Matheus, de 20 anos, classifica suas escapadinhas. Não que ele queira, afirma, é que simplesmente acontece! Depois de namorar durante um ano, o jovem conta que as tentações da faculdade falaram mais alto. "Tudo ia muito bem, até que passei no vestibular. Logo nos primeiros meses de aula percebi que segurar a vontade de conhecer outras garotas seria impossível. Fiquei com a primeira numa festa. E depois mais uma, e outra. Não terminei com a titular. É dela que eu gosto e com que vou viajar, passar meus finais de semana. São duas coisas muito diferentes", afirmou Matheus.

Questionado sobre o que sentiria se sua namorada fizesse o mesmo, Matheus, é para lá de confiante. "Ela me ama. Mulher quando gosta não faz essas coisas. Se ela fizesse, eu saberia. Mas não tem perdão. Na realidade, é melhor nem ficar sabendo. Também não quero que ela tenha uma visão errada das minhas atitudes”, conclui o garoto.

E você, acha que vale a pena trair só para se vingar? Deixe um comentário!

Leia mais sobre: traição

 

 

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG



Contador de notícias